segunda-feira, 25 de abril de 2011

Camões , sempre Camões.

                                                    
 
                                                                       De 
                                                                       que me serve fugir 
                                                                       De morte, dor e perigo, 
                                                                       Se me eu levo comigo? 

Tenho-me 
persuadido, 
Por razão conveniente, 
Que não posso ser contente, 
Pois que pude ser nascido. 
Anda sempre tão unido 
O meu tormento comigo, 
Que eu mesmo sou meu perigo. 

E, 
se de mi me livrasse, 
Nenhum gosto me seria. 
Quem, não sendo eu, não teria 
Mal que esse bem me tirasse? 
Força é logo que assim passe: 
Ou com desgosto comigo, 
Ou sem gosto e sem perigo. 

Nenhum comentário:

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Praia Grande , Big Beach. , SP, Brazil
Historiadora por profissão. Escritora por destino .Viajante no mundo por acaso. Fotógrafa amadora por paixão.